sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Salmo 122: Na casa de Javé existe paz!


Salmo 122
O texto
1. Cântico das subidas. Para Davi.
Eu me alegrei quando disseram para mim:
Casa de Javé, nós vamos.
2. Colocados estão nossos pés,
nos teus portões, ó Jerusalém.
3. Jerusalém, aquela que está construída como cidade;
Que está ligada por si junta.
4. Onde sobem as tribos,
as tribos de Jah;
Testemunho para Israel louvar pelo nome de Javé.
5. Eis que!
Lá estão colocados os tronos para o julgamento,
tronos para a casa de Davi.
6. Peçam paz (para) Jerusalém;
Terão paz os que te amam.
7. Haverá paz em teus muros;
tranqüilidade em teus palácios.
8. Por causa de meus irmãos e meus companheiros,
eu declaro paz contigo.
9. Por causa da casa de Javé, nosso Eloim,
eu peço o bem para ti.

EstruturaO Salmo 122 se divide em três partes: canção de peregrinação (v.1b-2), hino a Jerusalém (v.3-5), oração e bênção para Jerusalém (v.6-9). Esta poesia relata especificamente o ato de peregrinação do salmista, que juntamente com seus “irmãos e companheiros” (v. 8) vão em direção ao Templo em Jerusalém.


ComentárioEste salmo é considerado como um hino a Jerusalém podendo ser qualificado também como um cântico de Sião, justamente pela menção à cidade santa. Para Schökel, este cântico abarca um louvor à cidade de Jerusalém e uma petição por ela.[1]
Na primeira parte (v.1b-2), o salmista expressa sua “alegria” em visitar a “morada de Javé”. Nota-se nesta primeira estrofe que o salmista está em movimento, peregrinando. Num primeiro momento ele está em sua localidade cotidiana onde recebe o convite de ir para Jerusalém (v.1b). Logo depois ele encontra-se com seus “pés” na grande cidade (v.2).
Na segunda parte (v.3-5), a ênfase do autor está na cidade de Jerusalém. Segundo Bortolini, destacam-se três aspectos nesta estrofe: 1) Arquitetônico: observa-se a cidade fisicamente, detalhando seus alicerces e construções firmes (v.3); 2) religioso: a cidade é palco das diversas tribos de Israel que tem a oportunidade de juntas louvarem o nome de Javé (v.4); 3) judiciário: o salmo tem como motivo principal para celebrar, a instalação de trono para julgamento em Jerusalém que são tronos da casa de Davi (v.5).[2]
Na terceira parte (v.6-9), o salmista enfatiza o tema da “paz”. O próprio nome Jerusalém, que aparece três vezes nesta poesia, significa “cidade da paz”. Talvez o motivo para a paz fosse devido a sua ausência ou ainda à cidade abrigar uma quantidade elevada de pessoas em seu território nas épocas festivas, provocando instabilidade e desordem em seu território.[3] O desejo de paz do salmista se desenvolve em dois aspectos: 1) paz para os que amam a cidade (v.6); 2) paz e tranqüilidade para os que nela habitam (v.7). O salmista ainda relata que a causa de paz era seus “amigos e companheiros” (v.8) e a “casa de Javé” (v.9).O salmo 122 assim como o 120 apresenta um fator em comum, o tema da “paz”. Nestas duas poesias os salmistas enfrentam alguma dificuldade que o instam a pedir a paz (Sl 120.6-7; 122.6-9). A solução para este problema se encontra no verso 1b: “Casa de Javé”, o lugar que se encontra a paz.

[1] SCHÖKEL, e CARNITI, 1996, p. 1465.
[2] BORTOLINI, 2006, p. 510.
[3] MESTERS, 1998, p.18.

Nenhum comentário: